Jovens procuram companheira/o

Na sociedade chinesa, a pressão para assentar é muito grande, especialmente para as raparigas.  Para fugir às questões mais chatas nas reuniões familiares, o negócio de aluguer de companheiros tornou-se comum nos últimos anos.

Rapazes e raparigas recorrem a websites e aplicações para encontrar o/a parceiro/a ideal para conhecer os pais. As agências matrimoniais também tem serviços dedicados a esse aluguer, dada a procura.

O custo de um aluguer ronda entre 1000 a 15000 yuans( 130 a 190 euros) sem os custos extra como viagens e outros serviços. Há candidatos para todos os gostos, que são escolhidos conforme a sua altura, personalidade e formação académica.

Apesar da ideia ter surgido nos Estados Unidos, os jovens chineses aderiram de tal forma a tendência que se tornou um negócio muito rentável, especialmente durante o Ano Novo Lunar, em que alugar um "namorado" ou "namorada" atinge os 1.300 euros. 

O fenómeno tornou-se tão comum que até foi criada uma série de televisão sobre o tema. 

 

( Imagem via China Daily)

Tradições do Ano Novo Chinês

O ano novo é o evento mais esperado pelas famílias chinesas, que se reúnem nesta altura para celebrar a passagem do ano. Como todas as ocasiões festivas, ela vem acompanhada de várias tradições.  Vamos aqui falar de algumas:

Dar envelopes vermelhos

Os envelopes vermelhos ( 红包 hongbao) são pequenos envelopes vermelhos oferecidos pelos mais velhos a crianças ou jovens solteiros. Estes envelopes contém geralmente dinheiro, e a quantia oferecida deve ser sempre um número par e a notas devm ser novas.

Cor vermelha

O vermelho na cultura tradicional chinesa simboliza a boa sorte e a fortuna, para além de afugentar os maus espíritos. Como tal, é costume vestir roupas vermelhas e decorar a casa com objectos dessa mesma cor.

Fogos de artificio

O fogo de artificio foi precisamente inventado pelos chineses, pelo o que não poderia faltar nesta ocasião. Antigamente, as canas de bambu eram preenchidas com pólvora para o som das explosões afastar os maus espíritos. Hoje em dia, são usados panchões, que são uns pequenos cartuchos de papel cheios de pólvora. Estes cartuchos estão amarrados um fio único. Assim que são acesos, produz vários sons de estalos. Estes panchões são tão populares e são um ponto alto da noite. Porém podem ser perigosos, pelo o que as autoridades regulam fortemente a sua compra e lançamento, sendo em alguns casos completamente banidos.

Dança do dragão

Quando pensamos na cultura chinesa, pensamos imediatamente nesta dança tradicional. Esta dança é símbolo de boa sorte, sendo comuns as actuações não só no ano novo mas também na inauguração de negócios. Esta dança ganha vida graças a coordenação dos dançarinos que, com os acessórios do dragão, fazem a coreografia ao som dos tambores. Quanto mais longa a dança for, maior será sorte que trará a comunidade. 


( Imagens via China Daily )

 

O Ano Novo Chinês

Já estamos perto das tradicionais festas de passagem de ano chinesas . O ano novo chinês, também conhecido como Festival da Primavera, é um dos mais importantes no calendário chinês. É celebrado há cerca de 3.500 anos e traz consigo imensas tradições e costumes.

Pensa-se que o festival tenha origem nas cerimónias de sacrifícios em honra dos deuses e antepassados no inicio do ano novo.

A data oficial, o primeiro dia do primeiro mês do ano, foi fixada na dinastia Han. As celebrações tornaram-se cada vez mais populares com o passar dos anos.

O ano novo chinês é considerado feriado em locais com uma enorme comunidade chinesa como em Singapura, Malásia, Indonésia, Filipinas e Brunei.

Existe uma lenda que explica todos os costumes mais importantes desta data. Existia um demónio chamado Nian que todos os anos na véspera de mudança do ano, descia das montanhas e destruia aldeias e plantações, deixando os aldeões aterrorizados. Um dia, apareceu um senhor velhinho, de longas barbas brancas, que vinha visitar a aldeia. Apesar dos avisos dos habitantes, ele ficou lá durante a noite e afugentou o demónio. Como? Acendeu velas vermelhas, colou simbolos vermelhos nas paredes, vestiu roupas vermelhas e fez sons muito altos usando fogo de artificio e tambores. Quando os habitantes da aldeia voltaram, ficaram surpreendidos porque nada havia sido destruido.

Após o sucedido, os aldeões cumpriram todos os anos o que o senhor havia feito e o monstro nunca mais apareceu. As tradições ficaram e o ano novo é referido como guonian ( 过年 ) – passagem de ano.